Existe um Guarda Roupa Para Cada Idade?

Ontem assiti o “Saia Justa” (no GNT) e a convidada era a psicóloga Rosely Sayão. Convidada maravilhosa por sinal! Mulher inteligentíssima, dessas que dá vontade de perguntar sobre tudo, sabe? Um dos assuntos era a velhice e como as pessoas lidam com ela. Como estamos envelhecendo e como isso afeta a vida de todos nós: novos ou velhos.

Todo mundo envelhece! Do momento que somos concebidos até agora, lendo esse post, estamos envelhecendo. Mas é impressionante como a gente não gosta e não quer lidar com a idade. Uma prima muito querida faleceu há alguns dias e minha mãe comentou: 60 e poucos anos, tão jovem! E eu parei pra pensar… quando é que as pessoas ficam velhas então? Não é ruim assumir a velhice. Não é ruim assumir as etapas da vida. A infância sendo infância, adolescência sendo adolescência, jovens sendo jovens, adultos sendo adultos, velhos sendo velhos. É lindo isso! E não, não existe mais.

E teve um momento do programa que rolou essa discussão. As pessoas hoje não tem mais as etapas de vida definidas. Uma criança se veste como um velho, usam quase as mesmas roupas. Pensando num menino, pra não cair nas mini adultas, eles usam calça jeans, sapato/tênis e uma camisa polo ou camiseta. O que um velho usa? Um adolescente? Um adulto? As mesmas peças.

blog_anapaulapedras_sjp

Sarah Jessica Parker maravilhosa completou ontem (25/03) 50 anos! Eu usaria todos os looks, e você?

 

Lembro de quando eu era criança e usava vestidinhos rodados de princesa, laços no cabelo, sapatinhos de boneca. Camisetas coloridas e shorts coloridos no dia a dia. Os adultos usavam outras roupas. E as velhinhas usavam grandes saias e umas blusas bem peculiares. Dava pra notar a idade de acordo com o guarda roupa.

Hoje a idade já não é limite, já não é regra. E apesar da nostalgia e da saudade dessa vivência de etapas, acho isso maravilhoso. As pessoas estão mais livres para viver suas escolhas. Seu próprio estilo de vida. E como sabiamente disse Rosely Sayão: “A juventude deixou de ser uma etapa da vida e passou a ser um estilo de vida”blog_anapaulapedras_rosely_sayão

Ser jovem é escolha. Não é mais questão de idade. E isso vem pra reforçar uma coisa que eu sempre digo: não existem mais regras de poder usar isso ou aquilo de acordo com a idade. Não existe mais guarda roupa dos 20, escolhas certas pros 30, tem que ter dos 40 e o que usar com 50. A moda é a mesma pra todas.

A gente já sabe disso, mas ainda é um conceito presente na vida de muita gente. Cabelo curto aos 40 (agora 50) e outras regras que já não fazem mais sentido. O que vale é seu estilo, os lugares que você frequenta, o que te deixa a vontade com seu corpo e o que você vê no espelho. Claro que as escolhas vão mudando e o estilo vai amadurecendo, mas hoje isso acompanha muito mais as etapas e escolhas de vida do que a idade propriamente dita. Vejo pessoas que se vestem de forma séria e conservadora aos 20 e poucos e outras que são descoladas e modernas aos 50. E nenhum parecendo ridículo, apenas de acordo com o próprio estilo de vida.

O guarda roupa não tem que mudar por causa da idade, tem que mudar por causa do estilo de vida, da sua vontade e das suas escolhas! E essa liberdade é maravilhosa!

Surpresa seria se tivesse sido diferente…

IMG_4817.PNG

“-Desculpa.

-Não precisa pedir desculpa. Eu já sabia o que esperar.

-Mesmo assim. Acho que não precisava ter sido assim.

-Não, não precisava. Mas surpresa seria se tivesse sido diferente.”

E é assim que a gente vai levando os casos e os atrasos. As faltas e as presenças. Os beijos e os abraços. E os planos que são desfeitos.

Mas nem sempre a gente presta atenção no que recebe. Inventamos desculpas, elaboramos os fatos e contorcemos o passado. Jeitinho que a gente dá pra justificar as ausências do outro na gente. O olhar que gosta tem sempre um filtro. Desses lindos de instagram que deixam as fotos sem graça mais poéticas. E as pessoas vazias mais completas.

Mas não dá pra viver de filtro, não dá pra consertar o outro pela vida inteira. Não dá pra tampar pra sempre o sol com a peneira.

Chega a nem doer o vazio e chega a ser gostosa a lembrança. E é assim que tem que ser.

Descubra o que você compra errado!

Visito muitos guarda roupas e um dos primeiros passos com as clientes é: identificar os vícios de compras do guarda roupa! Aquelas peças que nunca são usadas mas a gente sempre compra…

Todo mundo tem algumas peças que ama e sempre acaba levando pra casa, normal! Eu tenho as botas e shorts jeans. Há quem tenha camisas, camisetas, regatas, calças jeans. Isso acontece porque a gente tende a comprar aquilo que funciona e que a gente gosta de usar, se sente bem e se enxerga quando olha pro espelho usando aquilo. Quando esse hábito gera várias combinações diferentes e faz o guarda roupa render muito, ótimo! Tá tudo certo! Sinal que você encontrou peças coringas e seu estilo tá caminhando legal com sua personalidade e tipo de vida que leva!

O problema do vício é quando ele fica parado no guarda roupa. Quando você tem aquele modelo de roupa que queria muito usar, acha lindo quando vê em fotos, adora na vitrine, se sente linda no provador mas chega em casa e ele nunca mais sai do guarda roupa. É engraçado como algumas peças são assim e a gente não percebe. Acaba comprando mais (porque curte né? Acha bonito e tal…) e quase nunca usa. Resultado? O guarda roupa vai enchendo, sentimento de não ter o que usar vai aumentando e a gente não sabe porque…

Pra descobrir o seu vício (ruim) em compras é fácil!

blog_ana_paula_pedras_post_vicios_compras

1 – Separe as peças do guarda roupa em grupos: shorts, saias, calças jeans, calças de alfaiataria, leggings, vestidos longos, vestidos curtos, camisetas, camisas, blusas de alcinha, batas, etc… Vale pra sapatos também: saltos altíssimos, botas, rasteiras, sapatilhas…

2 – Hora de analisar: disso tudo, o que você quase nunca usa? Aquelas que você comprou, usou uma ou duas vezes, experimentou 300 mas trocou por uma da sua zona de conforto na hora de sair.

3 – PAH! Essa peça tem irmãs, não tem? Se você tem um vício ruim de compras, essa peça tem algumas irmãs parecidas que também quase nunca saem pra passear. No meu caso, são as blusas de alcinha. Eu acho lindo, acho legal, curto na loja mas chegando em casa sempre deixo de usar pra usar um outro modelo de blusa. Tem gente que tem problema com calça jeans… tem 500 e usa 2. Outras pessoas com blusas “mullet”… Outras com vestidos… Algumas com sapatos altíssimos que nunca são usados…

Prontinho! Você já sabe a sua isca! Na próxima compra é só lembrar das irmãs no guarda roupa e pensar bem se precisa de mais um modelo que você não vai usar. Lembra daqueles que você sempre usa e pronto! Fica mais fácil escolher algo que vai realmente ser útil na sua vida! =)

ps: de vez em quando é legal sair da zona de conforto e comprar um modelo diferente pra incrementar o guarda roupa! Problema mesmo é insistir em peças similares que acabam ficando paradas, hein?

 

Etiqueta Moderna – 7 Cuidados que a gente deve ter antes de postar alguma coisa!

blog_anapaulapedras_etiqueta_moderna_1Dividir com os amigos o que estamos fazendo é a coisa mais natural do mundo hoje em dia… Com os amigos, conhecidos, familiares, amigos dos amigos, colegas de trabalho, amigos dos colegas de trabalho e no final uns desconhecidos que acabam vendo nossas informações. Mesmo sem querer nossa vida online está exposta e por mais que existam configurações de privacidade não existe muita garantia de que as informações postadas vão ficar ali, entre aquele grupo de amigos. Nunca se sabe quem deixou o Facebook aberto na mesa de trabalho… Ou perdeu o celular na rua…

Mesmo assim, temos a liberdade de dividir nossa vida com nossos círculos de relacionamento. É natural e é ótimo fazer isso! Faz parte da nossa rotina e a gente nem se questiona muito na hora de apertar o lindo “compartilhar”. Mas compartilhar informação da nossa vida é uma coisa. Quando inclui informação sobre a vida alheia os cuidados merecem ser redobrados! Questão de educação, sabe? E como educação é bom senso, fiz uma listinha de coisas que eu sempre observo antes de postar para não expor ninguém que esteja comigo! Sou um pouco exagerada (hehehe) mas vale pensar no que se encaixa na sua vida também!

 

blog_ana_paula_pedras_etiqueta_moderna_postar

1- Fotos de bebês e crianças: é sempre bom perguntar se os pais não se incomodam de você postar uma foto com a criança. Muita gente não gosta de expor seus pequenos em redes sociais abertas e é sempre bom respeitar! Principalmente se os bebês estiverem com poucas roupas, uniforme de colégio, colônia de férias… Questão de segurança!

2-Fotos de casamentos: hoje em dia os casamentos são mega divulgados e já vem hashtags pra gente usar nas fotos! Normal! Mas conheço noivas discretíssimas que não curtem a exposição, não tem rede social e usam emails apenas para o trabalho! Sim ainda existem pessoas assim! Se os noivos forem low profile é legal checar com eles antes de postar fotos de um momento tão especial! Principalmente se as suas postagens forem públicas.

3- Fotos de biquíni: por mais que a gente ache as amigas lindas numa foto nem todo mundo fica a vontade em ter uma foto de biquíni circulando por aí… Não custa nada checar né? Vale também pras fotos que a gente está linda mas tem gente aparecendo no fundo da foto! Imagina seu bumbum em um ângulo péssimo na foto de capa de uma semi conhecida?! Pra quê, né?

4- Casais: sabe aquela foto da balada que seu amigo aparece aos beijos com a paquera logo atrás? Melhor não postar né? A não ser que o casal seja assumido ou não se importe com a exposição, esse tipo de coisa pode ser chato pra alguém. Cortar a foto ou dar uma embaçada na imagem podem evitar uma situação constrangedora.

5- Placas de veículos: Esse tipo de coisa a gente oculta por segurança. Tem muita gente mal intencionada que pode usar esse tipo de informação pro mal. Lembre-se de apagar caso alguma placa acabe aparecendo em fotos. Já viu que elas são apagadas na tv? A gente tem que lembrar que redes sociais podem ser tão públicas quanto! Melhor evitar…

6-Localização da casa (trabalho, escola) alheia: também por segurança, é melhor evitar! Não é sua casa e você está divulgando o endereço de alguém. Pode parecer bobagem mas não é legal contar para os seus seguidores o endereço de outra pessoa. Tem gente que não liga mas pra evitar problemas é legal perguntar se você pode marcar o endereço. Vale também ter o cuidado de ocultar a localização no instagram quando postar fotos tipo: “festa na casa da fulana”.

7-Checar a veracidade da informação: hoje a gente passa muito mais tempo em redes sociais e acaba tendo pouco tempo para ler tudo que aparece na nossa frente. O que acontece? Muita gente acaba compartilhando informações pela metade, erradas ou incoerentes pelo simples fato de não checar a veracidade da informação! Compartilhar só pelo título pode ser muito perigoso! Você pode acabar fortalecendo um pensamento que nem concorda só porque estava ali, no meio de um texto que você ficou com preguiça de ler mas compartilhou porque o título era incrível! Checar informações é educado e evita lotar a timeline dos amigos com informações nem sempre verdadeiras!

Bem, são detalhes pequenos mas que podem causar desconforto ou expor demais sem a gente perceber! Dividir a nossa vida já virou algo tão natural que às vezes a gente esquece que muitas dessas informações chegam em lugares e pessoas que a gente não faz idéia de quem são! Controlar o que a gente compartilha publicamente é usar com inteligência essa maravilha que é a internet! Sem dor de cabeça depois… =)